DRAVET PORTUGAL (ASSOCIAÇÃO SÍNDROME DE DRAVET - PORTUGAL)

A Dravet Portugal é uma associação de pacientes, sem fins lucrativos, constituída em 2015 com o objetivo de fazer frente ao Síndrome de Dravet, uma doença rara de origem genética, que se manifesta antes do primeiro ano de vida como uma epilepsia grave e resistente ao tratamento, e gera sequelas graves no desenvolvimento cognitivo e psicomotor, tais como défices e incapacidades na coordenação motora, na linguagem, na autonomia, no comportamento, na alimentação e no sono.

As consequências são nefastas também no seio da família, provocando profundas alterações no plano pessoal e profissional, com um impacto direto na qualidade de vida das famílias afetadas.

Estamos conscientes de que há muito a fazer para melhorar a qualidade de vida destes doentes e das suas famílias e, sobretudo, estamos conscientes de que é cientificamente possível desenvolver um fármaco que permita atenuar de forma expressiva os sintomas da doença e encontrar uma solução definitiva na raiz do problema do Síndrome de Dravet. Apoiamos a investigação e a inovação.

SOMOS PACIENTES IMPACIENTES, conhecemos o papel fundamental do associativismo profissional de pacientes como parceiro de confiança na relação de todos os agentes envolvidos e, de forma voluntária, assumimos a necessária tarefa de entreajudar e colocar Portugal na rota internacional das soluções para o Síndrome de Dravet.


 

 

Somos, desde 20 de Novembro de 2015, membros da Federação Europeia do Síndrome de Dravet (DSEF – Dravet Syndrome European Federation) ao lado de outros países como: Alemanha, França, Espanha, Itália, Suíça, Holanda, Reunio Unido, Polónia, Croácia e Roménia.

"O nosso objetivo é dar a conhecer este Síndrome que atualmente não tem cura, ajudar as famílias afetadas e apoiar a investigação"


Patricia Fonseca | Presidente da DRAVET PORTUGAL

“ É urgente sabermos onde estão todos os afetados com este síndrome em Portugal e nos Países Lusófonos ”


Nuno Figueiredo | Vice-Presidente da DRAVET PORTUGAL

 

QUAIS SÃO OS NOSSOS PRINCIPAIS OBJETIVOS?

 

CONSELHO CIENTÍFICO

 

Ana Isabel Dias

Neurologista Pediátrica no Serviço de Neuropediatria do Hospital de Dona Estefânia (Lisboa, Portugal). Responsável pelo Laboratório de Electroencefalografia deste Hospital. A sua actividade assistencial reparte-se pela Consulta, Internamento e Serviço de Urgência de Neuropediatria, lidando com patologias tão diversas como a epilepsia e a paralisia cerebral, doenças neurometabólicas e heredodegenerativas, doenças neuro-musculares, patologia malformativa e tumoral, entre outras. Tem dedicado especial interesse à epilepsia, nomeadamente a Epilepsias refractárias e ao Síndrome de Dravet. Participa em ensaios terapêuticos ou de investigação clínica realizados no Serviço de Neuropediatria. Publicou diversos artigos científicos em revistas nacionais e estrangeiras. Fez parte da Direção da Sociedade Portuguesa de Neuropediatria.


 

Pedro Cabral

Neurologista Pediátrico. Diretor Clínico do CADIn – Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (Cascais, Portugal). Coordenador do Grupo de Cirurgia de Epilepsia e da Unidade de Epilepsia Refractária do CHLO – Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental. Director do Departamento de Neurociências deste Centro Hospitalar. Assistente convidado do Curso de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa. Investigador principal em ensaios terapêuticos internacionais epileptologia pediátrica. Foi Presidente da Sociedade Portuguesa de Neuropediatria e co-fundador, como Neurologista Pediátrico, do “Portuguese Brain Council”, de que é membro.


 

Teresa Temudo

Neurologista Pediátrica. Diretora do Serviço Neuropediatria do Hospital de Santo António (Porto, Portugal). Doutorada em Ciências Médicas com a tese ´Estudo clínico e genético da síndrome de Rett em Portugal'. Professora da cadeira de Pediatria na Faculdade de Medicina do Porto. Foi Presidente da Sociedade Portuguesa de Neuropediatria.


 

Ana Mingorance

Doutorada em Neurociências pela Universidade de Barcelona, é Directora Científica da Fundación Sindrome de Dravet, em Espanha. Consultora independente especializada em doenças neurológicas e raras. Na Fundação de Espanha, é responsável pela estratégia de investigação a longo prazo e pela construção e gestão de um portfolio de convénios de investigação que vão desde o diagnóstico até à investigação clínica. Também implementou uma rede de cientistas, clínicos, companhias, entidades reguladoras e organizações de pacientes em redor das epilepsias raras de origem genética, sendo oradora regular em conferências sobre doenças raras, bem como anfitriã de dois congressos europeus sobre epilepsias raras.


 

Miguel Pádua

Cirurgião com formação específica em Ortopedia e Traumatologia. Participou como autor e co-autor em mais de 30 trabalhos de cariz científico. Fez mestrado com uma tese sobre o Síndrome de Dravet. Exerce no Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (Amadora, Portugal)


 

Manuela Baptista

Médica Pediatra – Pediatra do Neurodesenvolvimento (actividade assistencial na área de Pediatria Geral e Pediatria do neurodesenvolvimento).
Coordenadora do Centro de Neurodesenvolvimento do Serviço de Pediatria do H.S.M. – CHLN
Actividade assistencial e Consultora (Pediatria do neurodesenvolvimento) na APPT21 / Centro de Desenvolvimento Infantil Diferenças.
Docente da Faculdade de Medicina de Lisboa - Curso de Mestrado Integrado em Medicina.
Vários estágios no estrangeiro na área do neurodesenvolvimento (Paris, Bruxelas, Nova Orleans, Boston / Rhode Island).
Participação em projectos de investigação na área.
Diversas publicações científicas em revistas nacionais e internacionais.

 

CONSELHO EXECUTIVO

A direção da DRAVET PORTUGAL está composto pelos seguintes membros e Pais.
 
Patrícia Fonseca
Presidente
Nuno Figueiredo
Vice-Presidente
Célia Madaleno
Vogal
Show Buttons
Hide Buttons